31 agosto 2007

Espectáculo

Diz o site da CMO "Verão 2007 - Galeria Veja aqui as fotos dos espectáculos de Verão!"


Este espetáculo não vi. Foi onde? Qual foi a Ópera que cantaram? Foi bom?

Num país perto de si.

Recentemente um director de um jornal foi levado a tribunal por um autarca com o fundamento deste ter sido difamado.

No algarve uns activistas de esquerda arrebentam com propriedade privada, dão cabo de parte da cultura, o seu porta-voz dá entrevistas na televisão e a justiça olha para o lado.

Pode ser que resulte.

Ainda bem

De acordo com o DN de hoje, na página 22, ou o Público na página Local 22, verificamos que o que tem sido dito aqui variadíssimas vezes começou a ganhar sentido no executivo de Óbidos. Levou muito tempo a preceberem que era uma falta de senso o exagero da ocupação proposta na zona do Bom Sucesso. Ficamos obviamente muitíssimo satisfeitos. Passo a explicar:

Dizem ambas as notícias, e citadas da Lusa, que Óbidos propôs a suspenção parcial do PDM, para poder reduzir de 40 mil camas para 25 mil, os aldeamentos que já autorizados na zona da Lagoa, freguesias do Vau e Amoreira.

Não deixamos de verificar que ainda se mantêm para esta zona uma previsão de ocupação do dobro da população residente no concelho.

É sempre bom perceber que a democracia ainda funciona, e que estes espaços podem ser eficazes. Não são, como alguns tanto gostam de afirmar, meros espaços de crítica destrutiva.

30 agosto 2007

Mercados Financeiros Internacionais

Já alguém deu pela valente queda que os mercados internacionais têm dado motivada pela volatilidade dos créditos HIPOTECÁRIOS? Vamos traduzir por miúdos. Nos EUA a banca e os investidores estão a considerar não aceitáveis os créditos assentos sobre garantias hipotecárias, i. e., garantias reais, ou seja CASAS! Algumas empresas já declararam falência.

As quedas já começaram a chegar à Europa. Cá pelo burgo, para além da valente pancada que o BCP tem estado a levar, o mercado até está bonzito. Mas os sinais estão aí.

Se a crise nos EUA não recuperar a breve trecho, é bom que, quem pensa que a sua vida se vai fazer no ramo imobiliário, pense mais que dez vezes...

Se acham que estou a exagerar, pelo menos dêm atenção ao assunto. Não é por mim, é por si.

Mais outra descontração


Gosto particularmente desta. Deve ter sido depois da intervenção no Castelo, aí pela década de 50.


Tempo para descontrair



Andei à procura na net e como se pode ler na primeira foto encontrei estas duas simpáticas imagens da porta da vila. Qualquer uma delas já tem mais de 50 aninhos.

E quando chegar a Óbidos?

Diz Maria José Nogueira Pinto no DN de hoje, justificando o seu desamor pelo algarve.

"Quando a febre da construção se apoderou da grande mata com a qual confinava a nossa "ilha", levantámos as tendas e partimos. "

Vamos ver quando é que vai ser a sua hora de levantar a tenda e partir de Óbidos. A febre da construção já está a apoderar-se da grande mata de Óbidos.

Para além disso, esta frase representa, e muito bem, aquilo que ninguém até agora poderou sobre o que se está a fazer de Óbidos. Quem está em Óbidos, quem veio para Óbidos, veio para uma determinada realidade (estava para escrever ruralidade). Se a transforarem numa cópia deslavada de um paraíso turistico de massas, quem é que vai se querer manter, e mesmo arriscar a vir?

Nota: E o estádio de futebol?

29 agosto 2007

Já agora

Bem se podia aproveitar a Assembleia Municipal para se fazer um "brainstorming", vulgo tempestade de ideias, para se pensar em como melhor aproveitar o campo de futebol. Afinal, e sendo Óbidos o concelho campeão do Oeste em marketing, em ideias inovadores, em espectáculos maravilha, em descobrir o que ninguém ainda tinha descoberto, nem é pedir muito. Só rentabilizar o campo de futebol. ( Já me disseram que em Leiria já utilizam o estádio do Euro para casamentos e baptizados, coisa que espero bem estar longe do imaginário do executivo!).

Para os ainda mais desatentos...

Em Espanha, que teve esta fase de destruição de toda a orla costeira, está agora em cima da mesa a possibilidade de se arrasar com as construções. Portugal, e Óbidos em particular, como estamos muito atrasados face à Europa, e a Espanha, ainda vamos na fase da destruição por construção.

Para os desatentos

Este post é para os desatentos, sobretudo aqueles que são desatentos porque querem.

Mandou publicar a 20 de Agosto do corrente o Excelentíssimo Deputado da Nação e também Presidente da Assembleia Municipal de Óbidos, Dr. Feliciano José Barreiras Duarte que hoje, dia 29 de Agosto de 2007, e no Salão Nobre, pelas 20.45h se deverá reunir a Assembleia Municipal.
O tema principal é o seguinte: "Apreciação e eventual aprovação da Proposta de deliberação da Suspensão Parcial do Plano Director Municipal de Óbidos – Medidas Preventivas", o resto aproveita a maré.
Por manifesta infelicidade de não ter o dom da ubiquidade, não vou poder estar presente, pois deve ser a antecipação dos fim dos espetáculos de verão de Óbidos "Noites inesquecíeis".
Já se está aver que vai ser o lindo trabalho que se prepara. Só a sugestão da suspenção do PDM devia ter obrigado a que previamente a população fosse informada de:
  • Porquê
  • Para quê
  • Para quem
  • Por quanto tempo
  • Contrapartidas
  • Prejuízos
  • Vantajens
  • Consequências
E depois vêm as medidas preventivas...
Como tudo isto não passa de um "fait-divers", pois que a maioria já tem tudo pré-aprovado, ao menos era simpático que estas coisas tivessem um pouco mais de transparência.

27 agosto 2007

Mariza na Cerca

Terminou hoje, segunda-feira, a venda de bilhetes para o concerto de Mariza, agendado para o próximo dia 30 de Agosto, em Óbidos. A lotação está esgotada.

Devido à grande adesão do público, a organização decidiu parar a venda de bilhetes, uma vez que a lotação do espaço é de cerca de 2500 pessoas, em lugares sentados e em pé. Existem lugares em bancada e distribuídos pelo interior da Cerca do Castelo.

Não irei a este espetáculo (já estou a dar o meu contributo ao PIB), no entanto espero bem que:

O problema das casas de banho esteja resolvido;
Que não se bloqueie o acesso às portas;
As estruturas metálicas já tenham sido recolocadas;
As advertências ao frio sejam efectivas.

De resto, desejo os maiores sucessos a todos!

Coisas e Loisas

Lemos, e ouvimos a notícia publicada no Oesteonline

Não vou dizer que é uma vergonha mandar o vice presidente defender uma dama que foi em Setembro de 2005 dama de outrém.

Também não vou dizer que quem pediu em 2001 a perda de mandato, e fez o necessário estardalhaço, agora nada diz.

Apenas observo, atónito, incrédulo, o que se diz, e, sobretudo, quem nada diz.

Campo de Futebol

A questão reside em saber que mais utilidades se podem dar a tal infraestrutura sem que com isso se acrescentem custos ao erário municipal.

O campo já está construído, já se paga a iluminação, limpeza, cuidados e manutenção, pelo que poderá haver outras actividades que se possam desenvolver optimizando o custo que o mesmo já representa para o município.

Então...

O que fazer com esta infraestrutura?



Aqui, quando era ainda um projecto.



Já construída mas sem as piscinas do Pereira Junior, nem o Pingo Doce.

Tem espaço, está bem localizado, raramente é utilizado. O que fazer? Ou Óbidos é um concelho assim tão rico que se permite manter espaços como estes para o que calhar na rifa?

26 agosto 2007

Autarca sofre

Este vídeo está no youtube e é o acidente que o Presidente da Câmara de Peniche teve. Como se pode ver, um malandro puxa o rabo do burro e as consequências são trágico-cómicas. Uma queda com consequências desagradáveis.

As novas tecnologias são muito crueis!

As consequências dramáticas dos PIN's

As consequências dos PIN's são visíveis não a 1, a 2, a 4 ou mesmo 8 anos. São empreendimentos que chegam a levar mais de 10 e 20 anos a serem completamente construídos. Ou seja quem os autoriza já não tem palavra quando todo o concelho tiver que viver com as consequências dos mesmos.
E isto é que é absolutamente dramático. Hipoteca-se o concelho para a geração seguinte.
Antes de qualquer projecto desta natureza devía, por uma mera questão de justiça elementar, ouvir a população em referendo local sobre se estão, ou não interessados em hipotecar o futuro do concelho com esse tipo de intervenções. Agora se para toda a àrea da Lagoa se está a falar de 5 projectos, é da mais elementar regra democrática, antes de qualquer vinculação, escutar a população.
Que se faça um referendo com todas as propostas em cima da mesa. Sem nada escondido.

Num povoado distante




Apesar da fraca qualidade das fotografias ( ensinou-me o passado recente que devo sempre tirar fotografias, uma imagem vale mais que as palavras) podemos ver o que é que se pensa fazer para a àrea do Bom Sucesso, junto ao Gronho e ao Rio Cortiço.

Com o tempo não tenho a mais pequena dúvida que o projecto vai passar para conjuntinhos de prédios como os que estão juntos à praia da Estrela. Massificação de construção e rentabilização máxima do solo. Obviamente que se tudo isto representar um forte investimento externo, lá teremos aquele absurdo Ministro da Economia a considerar PIN - Projecto de Interesse Nacional a destruição da realidade do Oeste, num allgarve sem sol e temperaturas amenas.

Pontos nos is

Sei que o Maximino é de enorme valia para o Concelho de Óbidos. E sei-o há muito tempo.
Sei também muitas outras coisas que aqui e ali as pessoas de uma ou outra maneira me vão contando. Umas boas, outras nem por isso, outras beras.

Acontece também, e não é novidade para ninguém que a minha história com Óbidos tem 6 anos.

Fico, no entanto muito surpreendido pela cerradíssima marcação que me faz desde 2005, ano em que ousei, em pleno uso das minhas liberdades, ser candidato pelas listas do CDS à Câmara Municipal de Óbidos.

Desde Novembro de 2005, quando com o Luís Carvalho avançamos para este espaço, sempre colocamos de lado as nossas posições partidárias e por isso nunca viram aqui qualquer menção expressa sobre partidos, mas, e sempre, sobre o Concelho e os seus destinos. Por isso muito estranho estas últimas posições assumidas, pois que como é do conhecimento geral mantenho um espaço político e partidário, e aí poderá fazer a luta que tem procurado fazer.

Aqui falamos de Óbidos. E falamos. Não vale a pena virem com rodriguinhos, voltas e mais conversas.

Contrariamente a muita coisa neste concelho este espaço é absolutamente livre. Todos sempre foram convidados a participar. Aparece quem quer, quando quer e fala quando quer. Dá, inclusivamente para ser sistematicamente insultado. Nada é apagado, sem pedidos expressos, ou ofensas graves.

Percebo que seja difícil ouvir alguém "tão novo" no concelho vir pôr tantos dedos em tantas feridas, mas, e como diz o ditado "vê melhor quem está de fora". Não preciso do concelho de Óbidos para nada, não busco trabalho em Óbidos, não preciso da CMO para nada. Sempre aqui estive à minha custa e com o meu dinheiro. Não pretendo retirar um avo que seja desta terra. Gostava que ninguém destruísse esta terra, tal como andam a destruir o meu País!

Tenho todo o direito a exercer a minha cidadania. Não aceito linchamentos de opinião. Pouco me importa quem se coloca na linha da frente para o fazer. Ou os argumentos são válidos, ou que se posicione alguém mais hábil para os defender.

Ponto final neste assunto. Espero que de vez.

Falácias de alguns...

"Sobre os excomungados em Óbidos, pela Santa Madre CMO, relembro uma mãe preocupada com as regras dos ATL's. Quando ousou criticar a forma como estes estavam a funcionar, em pleno plenário com o presidente e os interesados, então não é que os brindes que a CMO costumava comprar na sua loja, nunca mais foram adquiridos pela Santa Madre CMO !!! "

Para uns fogueira, para outros paninhos quentes...

Afinal não é PIDE, é mesmo KGB!

25 agosto 2007

Graça a Deus é anónimo...

"A cultura deve ser importante e até mesmo prioritária. Mas o problema do abastecimento de água em condutas obsoletas e potencialmente perigosa (amianto) não será prioritária relativamente a tal casa da cultura ou o que lhe queiramos chamar. Promover a qualidade de vida em termos culturais com outro tipo de iniciativas com a mobilização das pessoas e não com construções. Tocar em pessoas e não em betão."

Se não fosse anónimo também já tinha sido excomungado...

Ai, ai


Se não estivessemos no Século XXI, já tinha a santa Madre Igreja e meter-me lá dentro! Com todos os crimes devidamente confessados e justificados. Judiaria, feitiço, e mais o que fosse necessário.

Para que fique claro

Maximino Alves Martins, mais uma vez, excedeu-se. Acontece que, e mais uma vez, deixou cair a sua máscara.

O problema é seu. A consciência é a sua. Sabe melhor que eu que, já há muito, não me surpreende. Desça aonde quizer descer. Mande mails a quem quizer mandar, faça as queixinhas a quem quizer.

Já agora, se não quer conviver com as pessoas deste espaço, porque é que insiste em vir cá? É para provocar? Vem fazer de polícia militar? Vem fazer de censor? Seja minimamente coerente! Vir aqui para ofender gratuitamente é que já chega!

Este é mais um dos mistérios do Oeste!

Afinal

Diz o Público on line o seguinte:

"O concerto da fadista Mariza marcado para esta noite (22h00) no Palácio da Vila de Sintra foi adiado para amanhã, no mesmo local e à mesma hora, devido ao mau tempo, informou a produtora do espectáculo."

Então, o avião que andava hoje pela praia, estava tolinho de todo!

Um bónus


"Da Estrada Real" para "A Porta da Vila".

Nunca vi tão fina


A aberta era uma língua finíssima. Mas sempre de uma beleza indescritível.

E esta?

Andava hoje um avião a dizer que a Marisa ía cantar hoje às 22h00 na Cerca.

Se não tivesse o tempo que está, algo me diz que ía haver problemas... A não ser que seja outra Marisa. Eu preferíria a Marisa Cruz, sem ofensa a todas as belas Marisas deste país!

Festa da Maravilha


Aqui deve ser um dos maravilhoso parque de estacionamento.


Vista da Estrada ( a foto está desfocada)



Vista da lagoa.

Mas, com a chuva que começou agora mesmo a cair, acho que a festa vai ficar para outro dia...

Pois é...

Lá aconteceu o jantar. Com muito pouca adesão, mas animado e muito interessante.

Mais uma vez, os meus agradecimentos a quem se deu ao incómodo de aparecer.

24 agosto 2007

Cá para mim...

Nada como a cerca + 1.

Estádio de Futebol

Sempre que passo na A8, ou via rápida, conforme os gostos, vejo um excelente campo de futebol, com boas bancadas, bem tratado, de vez em quando a ser regado. Fico bastante satisfeito até. Aquilo que me vai custando um bocadinho mais e verificar o pouco uso dado ao mesmo.

Sabemos pela comunicação social que a Mafalda Veiga levou 1.800 pessoas à cerca, e que ficaram sem bilhetes alguns mais. Não será que no dito campo de futebol, tal como fazem certos clubes de futebol, não era possível ter espectáculos quer como Mafalda Veiga, ou Gift, ou Rui Veloso, ou GNR, ou Da Weasel, ou o quer que seja, nos quais se podem vender mais bilhetes, e por isso tornar mais rentável esse espaço?

Se a ideia é fazer de Óbidos um palco de espetáculos, ali está uma sala ao ar livre apta a acolher grandes festivais de qualquer tipo de música. Pode-se montar barraquinhas ou tasquinhas...

E ainda com uma vantagem adicional, deve ter mais que uma casa de banho!

Novidade do Jornal das Caldas

Diz-nos o Jornal das Caldas que município prevê para breve a apresentação de um projecto para uma grande sala de espectáculos em Óbidos. Também nessa notícia ficamos a saber que não será dentro da Vila, o que nos dá um alívio monumental.

23 agosto 2007

Sondagens

É engraçado como as sondagens tem tido adesão...

Sobretudo as que opinam, em jeito de balanço o meio mandato decorrido.

Jantar, jantarinho e jantarão

Quem puder e quizer não se esqueça de trazer histórias, fotografias, documentos, factos curiosos e mais o que puder.

Jantarão

Mas na sexta feira lá estarei! E sei que já tenho (MUITO BOA) companhia!

Só espero que a minha muito amiga Aurora nos ajude!

De longe

Por motivos que agora não interessa nada expôr, vi-me levado para o Fundão e para Mortágua (de onde se regista esta mansagem).

Já agora, e como quem não quer a coisa, estive num centro de dia de uma freguesia do Fundão, mais precisamnete Lavacolhos. ( haverá aqui oportunidade para pessoas menos letradas para brincar com o termo, pois que podemos aceitar colhos como colos, i. e. pescoços, ou outro menos letrado e mais popular. Obviamente que o primeiro é que tem sentido.)

Nesse centro de dia, que abre para o almoço e que serve jantares, não se chama pomposamente centro de convívio, nem tem placa, apenas fornece almoços e jantares a idosos, pessoas com dificuldades e pessoas diminúídas que buscam esse auxílio numa aldeia da beira interior. Não têm aulas de dança jazz, de costura, nem de outras coisas. Apenas lhes acode nas necessidades básicas elementares, e sem placas à porta.

Perdão, tem uma placa à porta, a do Sagrado Coração de Jesus...

20 agosto 2007

Convite...


A festa é de Óbidos,
A festa é dos obidenses,
A Sagres avança com uma imperial
Mas o povo de Óbidos tem que pagar 5 € para celebrar e festejar a sua terra?!
Na festa da lagoa não paguei 5 € para entrar!
Como é que vão vedar o espaço?
No covão dos musarenhos há tantas entradas...
Vão estacionar os carros, no Bom Sucesso Resort? ou na beira da estrada?
Quanto é que vai custar cada imperial? É que se fôr mais de pelo preço de duas, bem podem esquecer a oferta...
A entrada no covão faz-se, com dificulade em duas vias.
Aquelas curvas são péssimas.
A estrada do Vau é tenebrosa.
Ó gente, com tanto sítio neste concelho... Que tal no campo de futebol? Onde há espaço, condições, casas de banho, estacionamento, centro de saúde, lugares sentados, lugares em pé..

Jantarinho

Meus caros

O Sérgio foi chamado a outros e mais elevados serviços. Não podemos, portanto, contar com a colaboração dele. Assim acabei de confirmar com a D.Aurora, uma simpatiquissíma senhora cozinheira e proprietária do Café Snack/Bar Senhor da Pedra onde estará à nossa disposição uma mesa de 1 pessoa até os que vierem!

Estacionamento é fácil, o preço é em conta, a companhia auguro da melhor. Portanto:

Lugar :Café Snack/Bar Senhor da Pedra
Dia : Sexta-feira, s4 de Agosto
Hora: 20.00 horas.

Obrigado Sérgio pela disponibilidade, se conseguir chegar a tempo venha beber uma ginginha connosco!)

Jantar II

Convivas que era um gosto ter neste jantar:

O Senhor Presidente da Câmara
Toda a vereação
Todos os deputados municipais

E os comentadores e participantes mais empenhados:

A Sílvia
Os Sérgios
O Maximino
O Abidos
O Arribo
O Assentador
O Unha negra ( se não der para jantar vale a pena passar por lá)
O alcaide
O montês
O Visconde do arrebalde
O marquês
O inspector
O Victor
A Maria
O amigo da onça
O Vinus
Dos Santos
O Francisco Silva
O Chico esperto
O Antonio Maria Andrade Vasconcelos de Almeida Duarte Silveira Coutinho

e todos os anónimos e mais outros menos anónimos que nos têm brindado com aqui e ali uma mensagem e uma visita.

( se forem todos, coitado do Poço dos Sabores!)

Jantar

Pedia ao Sérigo, caso possa, verificar se o dono do Poço dos Sabores está na disposição de receber um grupo de 1 pessoa (eu próprio) ao limite da adesão (o céu, obviamente!). Se aceitar fica combinado para sexta-feira dia 24 às 20.00.

Obrigado Sérgio.

Sondagem

Vamos ver se desta vez a coisa já sai como deve ser.

Inscritos 22 frequentadores.

Abestenção declarada 2 o que equivale a 9,09% de abstenção

Votantes 20 o que representa 90,9 %

Brancos - 2 intenções 10%
Nulos - 1 intenção 5%

PSD - Telmo Faria - 9 intenções, correspondendo a 45% e com acesso a 4 vereadores.
PS - José Machado - 6 intenções, correspondendo a 30% e com acesso a 3 vereadores.
CDU - Eduardo Costa - 1 intenções, correspondendo a 5% e sem acesso a vereadores.
CDS - Francisco Teixeira - 1 intenções, correspondendo a 5% e sem acesso a vereadores.

Voltámos a fazer esta explicação pois que neste momento todos os partidos já foram votados.

Obrigado a todos

19 agosto 2007

Conversas

Estava nas Caldas numa loja que não há em Óbidos, e enquanto se fazia tempo comentavamos a situação do concelho das Caldas. Dizía a comcerciante:

"O mal das Caldas é este marasmo em que não há ninguém que se manifeste, ou que se oponha. É tudo uma pasmaceira" Naturalmente que aproveitei a deixa para falar aqui do nosso fórum.

E foi mais uma conversa muito interessante.

Jantar

Como já aqui se falou, volto à ideia de um jantar do blog para sexta-feira dia 24 deste mês. A ideia é ser um encontro completamente aberto, sem a mais pequena restrição, vem, como sempre, quem quer. Cada um paga a sua despesa, e conversamos sobre Óbidos.
Se alguém quizer trazer fotografias, documentação, ou outros assuntos de interesse para partilhar será uma excelente ideia e um óptimo contributo para este espaço.

Quanto ao local, estou completamente aberto a sugestões.

Mafalda Veiga e João Pedro Pais

FRIO! Um vento terrível. Mas a simpatia e simplicidade quer da mafalda Veiga quer do João Pedro Pais foram uma boa recompensa para o acto heróico de nos termos mantido ali mais de hora e meia. Mesmo com os cobertores do costume.

Muita gente, casa cheia mesmo. Foi engraçado reparar que passados 4 dias o público era completamente diferente. Muito mais jovem, conhecedor, entusiamado e animado. Também com frio e sem agasalhos. ( se calhar deve ser conveniente passar a avisar em todas as bilheteiras que à noite pode fazer muito frio!)

Outros considerandos.
Dois gradeamentos metalicos a impedir as saídas. Não faço a mais pequena ideia da iluminária, para não lhe chamar outro nome que resolveu cortar o acesso à porta norte da muralha com um gradeamento! Pergunto eu: E se houvesse uma emergência e, por exemplo, uma necessidade de evaquação rápida dos perto de 2.000 espectadores? Aí até os carros dos bombeiros muito mal estacionados eram levados pela multidão.
Mas se o gradeamento era para proteger os artistas, então cercavam a entrada lateral do palco e nunca o acesso à porta! Isto é um erro de palmatória! E para animar, a porta estava fechada, sendo que para abrir o movimento era em sentido contrário à de uma evaquação urgente! Um mimo de imprudências.

Já na estrada para além de uma série de viaturas mal estacionadas (algumas com o selo da CMO) estava um carro dos bombeiros apontado para a saída e com um gradeamento outro frente! Mais uma vez imaginamos o estardalhaço que seria o caso de uma emergência.

Fui ao concerto com a minha família, e é sempre um aborrecimento ter que vir para aqui chamar a atenção de coisas que deviam estar mais que acauteladas! Lembrando-me das tristes frases do Francisco Salvador, imagino os disparates que se diriam num caso de emergência!

Já agora, mais uma que desde o primeiro dia que acho absurdamente incorrecto. Quem montou a bancada lateral ao palco faz um funil junto à muralha em que só passa uma pessoa e com dificuldade. Mais uma vez peço a todos para ponderarem uma situação de emergência. Não dava para chegar meio metro para trás? Ou simplesmente cortar 4 ou 5 lugares?

São demasiados erros graves para acontecerem quando se junta tanto público!

18 agosto 2007

Mercados de Óbidos


Novidades para turista ver


Mercado de todos os dias.
Opções. Num concelho com 60% da população a viver da agricultura, o importante é o folclore à entrada da vila... enfim.

Por email




"Aqui esta umas fotos da rua dos arcos que esta a espera de ser arranjada a mais de 30 anos e que a Junta de São Pedro e a Câmara de Óbidos não querem saber. Como me foi dito a rua não vale a pena calcetar porque mora poucas habitantes nessa rua. É uma vergonha mas é assim na terra do chocolate. " comentário que vinha com as fotografias

Visão estratégica

Estive na vila de Óbidos à procura de Cd's de Música Clássica, nomeadamente das óperas que foram apresentadas. Nem um único sítio. Nem sequer a loja da Óbidos Patrimonium.

Quer-me parecer que esta é, para além de uma oportunidade de negócio perdida, um isntrumento de cultura que não se disponibiliza. Quantas pessoas não comprariam o CD com a ópera ou com o espetáculo que vão ouvir, ou que acabram de ver? Como é que se educa uma gosto se não se fornece matéria prima para manter a escuta?

Não tenho a mais pequena dúvida que as editoras, nomeadamente a NAXUS, colocaria os CD's desde edições económicas a boas produções.

E tudo só piora quando este vazio musical se estende um pouco por todo o Oeste...

Havendo ainda a possibilidade de utilizar o resultado da mesa de mistura que actua nos espectáculos para gravar em CD o que foi acabado de escutar, ou mesmo em DVD.

Vou ter que ir à Fnac, ou comprar on-line

17 agosto 2007

Obrigado

Obrigado a todos, nomeadamente à Silvia e ao Sérgio, pelo que escreveram.

Significa tudo isto que este espaço já ganhou autonomia suficiente que já se defende por si só.

Obrigado a todos!

Nota: Mais uma vez abro inscrições a todos os que, de boa vontade, quizerem escrever. Este espaço é vosso. Basta que enviem um email para forumobidos@sapo.pt
O Francisco BT é do CDS...Todos o sabem.
O Francisco BT é critico deste executivo...Também já todos chegaram a essa conclusão.
O Francisco BT tem todo o direito a ser critico...Aqui é que parece que nem todos estão de acordo!
Vejamos o seguinte...
Eu estou a viver em Óbidos ha relativamente pouco tempo (cerca de 2 anos)
Nestes dois anos, constatei que em óbidos as pessoas são, de um modo geral, simpáticas e prestáveis.
Na Usseira, local onde habito, as pessoas têm essa mesma caracteristica.São prestáveis e acessiveis. Confesso que não sou uma pessoa de ir muito ao café ou de meter conversa com as pessoas, mas sempre que tal se proporcionou existiu sempre educação e cordialidade.
Também não é segredo para ninguém (nem para o Francisco) que sou um admirador da obra do Dr.Telmo Faria.E nunca me coibi de expressar essas opiniões.Nem nunca o Francisco (ou oLuis quando estava mais activo no blog) me censuraram essas opiniões.

Mas o ponto principal deste post é:
Os senhores comentadores que aqui vêm chamar nomes a quem escreve têm, obrigatoriamente, de se esforçar mais.
E esforçar em tentarem, pelo menos, insultar em português correcto.
É que é frustrante ter de lêr insultos, ainda para mais quando escritos com tantos erros.
Se a pessoa em si não vos merece respeito, ao menos respeitem a Lingua.

Fazendo um apanhado deste blog, creio que vai servindo de ponto de encontro para várias pessoas, sendo que algumas conseguem transmitir opiniões e até alguns factos muito interessantes, como é o caso de Abidos e principalmente do Maximino.
(Um destes dias vou ter consigo Maximino)

Ao Francisco, digo-lhe que apesar de não estar sempre de acordo consigo e com as suas criticas, reconheço-lhe coragem e forte personalidade.
E isso meu amigo, é uma qualidade que até aqueles que escrevem mal de si invejam.
Um abraço para si, porque merece-o sem qualquer duvida.

Parabéns pelo blog...pelas opiniões das pessoas que por cá passam sem insultos fáceis...pelas ideias que deixam...e acima de tudo por permitirem que se fale de Óbidos.
Como diria um profissional do marketing...Não ha publicidade boa nem publicidade má...Há publicidade!!

Adivinhas...


No ano que vem, deste local onde tirei esta foto, vai estar colado com mais um bocadinho de "desenvolvimento". Vai ficar tudo muito lindinho... uma enoooooooorme paredezinha de cimento!

OBI ou não OBI


Transporte para a praia.

Um historiazinha para descontrair

Durante uma das óperas, e enquanto percorria a sacra fila para a casinha das aflições ouvi dois cavalheiros a queixarem-se deste constrangimento. Às tantas diz um:

"Esta lembra-me aquela de um vereador que chegou a propôr pintar o Castelo de branco"

Como ocorreu a minha vez de entrar não pude tirar mais dados sobre esta notabilissima ideia.

O Blog, os bloguistas e...

Olá a todos!
Reportando-se a minha inscrição neste blogue ao mês de Julho é esta a primeira vez que "rabisco" algo para publicar (apesar de, indirectamente, já ter "participado" no blog).
Já li, inclusive, criticas ao facto da maioria dos post's ter a mesma autoria...
A mim, não me "apeteceu" escrever antes!
E isto deve-se, unicamente, ao facto de me desagradar profundamente a falta de educação de alguns comentadores e a ironia de outros, a falta de respeito que demonstram pelas diferentes opiniões e o "tom" que emprestam às criticas. O insulto fácil, escondido atrás de um écran de computador, sai fluído, contudo... nada acrescenta de benéfico quer a quem o escreve, quer a quem o lê. A diversidade de opiniões sempre me agradou, desde que a discução seja saudável e tendo o respeito mutuo como pilar de sustentação!
E neste caso (o blog) o que se pretende é dar o mote para, nem que seja a partir da denúncia de qualquer situação menos agradável, o enaltecer de um acto ou uma simples constatação factual, permitir a troca de opiniões (e espera-se, na impossibildade da educação, pelo menos a cordialidade).
E gosto de ler os comentários, até porque quase todos eles são escritos no sentido de expressar uma opinião, esclarecer ou levantar uma questão.
Óbidos merece!
Obs.: Espero que não entendam o que escrevi como uma critica gratuíta, o que não me ficaria de todo bem, para um primeiro post! Entendam, sim, como um pedido... E, desculpem o desabafo

Sondagem

A sondagem sobre as eleições tem irritado alguns leitores, ao ponto de pensarem que eu teria a falta de senso de votar em mim próprio. Enfim...

Com 17 intenções já manifestadas o seu reflexo, em termos eleitorais seria o seguinte:

PSD - Telmo Faria - 7 votos, 43,75 % e 4 vereadores. Mantém a Câmara e a maioria
PS - José Machado - 5 votos, 31,25 % e 3 vereadores.
CDS - Francisco Teixeira - 1 voto, 6,25% e 0 vereadores
CDU - Eduardo Costa - sd

Ainda

Fui, mais uma vez, mimado com brindes.

Quem abriu as hostilidades foi o senhor do costume, cuja insensatez na blogosfera já deixou brilhantes exemplos.

Os seguintes são dramáticamente desorganizados. É agressão pela agressão. Obviamente que qualquer pessoa com o mais básico conhecimento de psicologia tem outras leituras e interpretações.

Notas soltas para reflexão:

"blogue do canalha"
"não vê nada para além do umbigo que nem ele próprio consegue vislumbrar"
"É o Blogue da merda "
"cheira mal como tu fedes "
"aqui nem fedes"
"nem f...só a cabeça a alguns"

O outro comentário um bocadinho menos latrinoso, mas muito próximo, tem algumas incorrecções que é bom que se esclareça.

1º Nas passadas eleições o CDS, partido que me apoiou, teve 90 votos e não 70.
2º Se tenho mais votos que as vagas no pré-escolar tenho pena, preferia mil vezes o inverso.

Quanto ao resto é mais do mesmo. E são esses vazios de conteúdo que permitem que este espaço exista. Por mais que me insultem e me agridam, não é isso que me vai fazer calar, ou ir-me embora, por isso estejam à vontade e... Se calhar anima o blog.

16 agosto 2007

Não é por mal

Escreve Maria José Nogueira Pinto no Dn ed hoje um texto sobre "Terra de Rainhas". Diz a páginas tantas o seguinte:

"Mas não tem porque ser assim. Em Óbidos, o que aconteceu nos últimos anos está entre o milagre e o study case, com resultados extraordinários: um terra igualmente bonita e harmoniosa, um espaço reforçado na salvaguarda do seu património que convive, agora, com as pessoas, residentes e visitantes, portugueses e estrangeiros, das mais diversas origens e condições, que ali afluem pelos mais variados motivos. E é por isto mesmo que o comércio se tornou atractivo, com horários alargados, uma hotelaria e uma restauração que rivalizam em qualidade, e a atractividade de Óbidos se desmultiplica em programas ambiciosos e bem sucedidos de animação cultural, para todos os públicos, desde feiras medievais a semanas de ópera, desde a encenação da Semana Santa à festa do chocolate, desde exposições a concertos."

Este olhar pela rama quando se está de férias é tão desprovido de senso como o que foi escrito por Zita Seabra no ano passado. Mas se Zita Seabra tem alguma desculpa pelo facto de ser militante do PSD, já MJNP não tem a mais pequena atenuante. Foi recentemente autarca, e para Lisboa propôs uma plano de revitalização, pois que estava a morrer por falta de habitantes. Em Lisboa havia pensamentos estratégicos e globais.

Mas chega a Óbidos e acha que é um milagre o Festival do Chocolate, um case study a Vila Natal, e tudo num comércio mais atractivo. Saberá MJNP quantas pessoas vivem na vila? Como é que vivem? Se sentem essa harmonia? E no resto do concelho? E as pessoas do resto do concelho? Pensar que Óbidos se tem desenvolvido pelo facto de ter havido um forte trabalho de promoção mediática do nome de Óbidos é de uma ligeireza que não se esperava de MJNP. E as pessoas? E os obidenses?

Ajuda SFF

Recebi esta informação por email, e como é um assunto que não tenho conhecimentos adquados para o efeito, deixo à consideração dos nossos amigos leitores uma ajuda.
"Mas o que nunca é referido é que a rede existente é de tubagem de fibrocimento, amianto portanto. Este material está proscrito em todo o mundo ocidental por se lhe atribuir perigo cancerígeno. Mas cá nada se faz para obviar este problema. Serve-se água potencialmente perigosa à população (bem sei que há quem deseja ardentemente que morram todos os poucos moradores actuais) não só a residente mas também os visitantes, pois que as sopinhas e outras iguarias que se elaboram cá o são com água temperada com amiantozinho."
Agradecía comentários avisados sobre esta matéria. O assunto é suficientemente sério.
Obrigado a todos

15 agosto 2007

Na net

Necessita-se de Hospedeiras com boa aparência para festival de Óbidos com preferência experiencia Bar para servir bebidas e promover uma marca.
Cachet 7€
Enviar CV e fotos de cara e corpo para enxamedestrelas@gmail.com

Não faço a mais pequena ideia do que seja, mas aqui http://net-empregos.com/detalhe_anuncio_livre.asp?REF=268004 está descrito o anúncio, e assim como quem não quer a coisa, é uma ajuda para quem necessite, ou conheça alguém que precise.

Novamente, serviço público para Óbidos.

Nota: Se mandarem uma ou outra foto de corpo inteiro até poderemos publicar... (isto é uma piada, seus perversos!)

Vamos falar claro

Saída do Filipe Pessanha. O porquê.
O Filipe Pessanha quer que todos nós acreditemos naquela desculpa muito polida que sai de Óbidos para estar mais perto dos pais e dos amigos que por excesso de trabalho mal consegue ver nos últimos anos. É conveniente. Mais faz parte da educação, cortesia e modos que desde sempre demonstrou. Alguém estava a vê-lo a justificar de outro modo a sua saída?
A pergunta que deve ser feita é outra. Depois de ter feito o que fez, com a qualidade com que fez, o que é que era devido ao Filipe Pessanha? Vamos ser definitivamente crueis. O que é que fez Ricardo José Rodrigues Pedras Ribeiro? Sendo a OP uma empresa de eventos, que evento organizou o seu administrador? Que contactos tem este administrador? Quem conhece este Administrador? Que sabe este administrador?
Ainda na Traviata assisti ao Filipe a apresentar algumas pessoas que o referido Administrador não sabia quem eram, mas com as quais se fazem os eventos. Esta é a questão crucial. A alma dos eventos era o charme, a cortesia, a educação e obviamente os profundos conhecimentos que este Filipe Pessanha detém.
Aquilo que não se esperava é que o Filipe Pessanha, pessoa de outro tipo de qualidade humana, tivesse percebido que não era do partido, que não era cor de laranja, que não pertencia à oligarquia local, pelo que não passaria de um funcionário público. Assim, e farto de ser mais uma Dalila, fêz-se à estrada. Leva consigo um curriculum invejável, pelo que será difícil não ter sucesso em Sesimbra.
Falar de outras coisas é enrolar. A saída tem a ver com a incapacidade de no Município lhe ser conferido o seu papel fundamental nos eventos de qualidade. Note-se que me refiro apenas a eventos de nota máxima, e não à Vila Natal e outras chachadas.

Noite de ópera

Apreciei de sobremaneira a noite de ópera de hoje. O fogo de artifício final foi fabuloso!

Um enorme obrigado ao Filipe Pessanha que hoje cessa as suas funções na CMO, tendo com o seu conhecimento e trabalho, dado forma a tantos eventos. Fechou com chave de ouro. Deixou também escola.

Mais uma vez as casas de banho tinham fila, quer as dos homens quer as das mulheres, sobretudo as das mulheres! Esta circunstância é inaceitável!

14 agosto 2007

A 3 de Dezembro de 1935

"Morreu Fernando Pessoa. Mal acabei de ler a notícia no jornal, fechei a porta do consultório e meti-me pelos montes a cabo. Fui chorar com os pinheiros e com as fragas a morte do nosso maior poeta de hoje, que Portugal viu passar num caixão para a eternidade sem ao menos perguntar quem era."

Pessoa, à data da sua morte, no dia seguinte à sua frase "I know not what tomorrow will bring" escrita na cama do hospital, havia apenas publicado "A Mensagem" dentro de um concurso literário que lhe havia dado o segundo lugar.

Torga, nesta data, com apenas 28 anos, transporta já para o seu Diário, aquilo que outros, muito menores, se calhar sem escreverem diários, ou mesmo em diários, não têm agenda para ele. Torga deu a sua agenda a Pessoa.

Apenas mais uma...

Tive que ir reler Torga.

Dizia a 3 de Março de 1934, com27 anos, três meses após a formatura em Medicina:

"Mas ir para onde, se não tenho com que mandar cantar um cego, nem a mão de ninguém me acena de parte alguma de Portugal?"... o triste é que para lá do povo, das pessoas, mais ninguém lhe acena...

desolador...

13 agosto 2007

Porque às vezes é fundamental dizer

A Senhora Ministra da Cultura despede o mérito na pessoa da Senhora Doutora Dalila Rodrigues. Todos discordam da sua opção, mas nada a demove, nem a referência avisada do Senhor Presidente da República.

A Senhora Ministra da Cultura, bem como o Senhor Secretário de Estado da Cultura não arranjaram "agenda" para um dia que acontece de cem em cem anos, um centenário. Dizem as más línguas que a razão se prende com a possibilidade de se poder confrontar com as pessoas da cultura de Coimbra bem como com Manuel Alegre.

Quem não merece nada disto é Portugal e Miguel Torga, imensamente maior que alguma vez alguém deste governo um dia será. Torga é "ouvir o marulho", sentir o "negrilho", sentir a rudeza da Trás os Montes, a raiva de ter estado nos 10 de Junho, é viver os diários, é tanto...

Não resisto à força do último verso do Diário que transcrevo:

Coimbra, 10 de Dezembro de 1993

Requiem por mim

Aproxima-se o fim.
E tenho pena de acabar assim,
Em vez de natureza consumada,
Ruína humana.
Inválido do corpo
E tolhido da Alma.
Morto em todos os orgãos e sentidos.
Longo foi o caminho e desmedidos
Os sonhos que nele tive.
Mas ninguém vive
Contra as leis do destino.
E o destino não quis
Que eu cumprisse como porfiei,
E caísse de pé, num desafio.
Rio feliz a ir de encontro ao mar
Desaguar,
E, em largo oceano, eternizar
O seu esplendor torrencial de rio.


Honre-se Portugal e a Língua Portuguesa!

É assim mesmo!

Disse um anónimo:

"Sondagem mais de um mês 27 participações...tão pouco para nada. Faça uma análise do porquê."

1º Este espaço é absolutamente livre, pelo que só participa quem quer. Ninguém é obrigado a fazê-lo, ou, pior, proibido de o fazer. Até se pode comentar anónimamente...

2º Nas primeiras sondagens pouco passavam de 10 participações. Desta feita foram já 27.

3º Estas sondagens procuram ser uma diversão, onde se pode descobrir quem vai pensando, e o quê. Apenas com um clique.

4º Com uma média de 70 a 80 visitas por dia, a sondagem esteve um mês e pouco no ar. Que me lembre, com muitas mais visitas por dia, o site da CMO teve no ar uma sondagem anos a fio, e ninguém podia sequer comentar... pelo que, sendo aqui tudo mais poucochinho, todos podem dar a sua opinião. Eu prefiro assim...

E "Na nossa sondagem já hà nova maioria... "

Obrigado por de uma forma absolutamente espontanea ter-me dado uma grande felicidade. Sentiu este espaço seu. A sondagem foi sua no comentário. Não se sentiu de modo algum constrangido a apropriar-se de uma espaço que foi desde sempre criado para todos. Obrigado e parabéns!

Quanto ao resultado, que ainda é muito provisório, pois gostava que se mantivesse até Outubro, mais precisamente 9 de outubro, mas no entanto fico espantado com a sua surpresa...

Nova sondagem

Caminhamos para 2 anos sobre as últimas eleições autárquicas. A meio mandato, e um pouco no mesmo sentido das duas sondagens ainda a correr, vamos tentar auscultar a sensibilidade dos nossos leitores para qual o resultado que podería acontecer se houvesse novas eleições agora.

Todos sabemos que o resultado não é minimamente vinculativo, mas não deixa de ser um exercício interessante.

Obrigado pela vossa participação.

12 agosto 2007

Sondagens

Vamos terminar a sondagem da Maravilha. Esteve no ar mais de um mês. A pergunta era simples: Quem Ganha mais Com Óbidos Maravilha? Votaram 27 pessoas e os resultados foram os seguintes:

1º - Todos um pouco ----------------- 9 votos
2º - A especulação imobiliária -------- 7 votos
3º - O Turismo ---------------------- 5 votos
4º - A Câmara em IMT e IMI ------- 2 votos
4º - Os Obidenses ------------------- 2 votos
6º - Não sei-------------------------- 1 voto
6º - Os empreendimentos turísticos - 1 voto

Com fortes variações ao longo da votação, foi ganhando mais peso a sensatez no resultado Todos um pouco.

Hoje no Carregal



Houve esta festa popular no Carregal,organizada pela colectividade local.

Foi servido um bacalhau com bata a murro, ou sardinhas assadas ou frango assado. Sobremesas e café.

Depois foi a dança abrilhantada pelos "Teimosos", com Faustino Duque, meu vizinho de mesa, à bateria. Como se pode ver a animação foi grande.

Praia atlântica de Óbidos

São quilometros e quilometros de uma areal faluboso. Uma oferta da natureza à espera que seja desfrutada por quem assim o deseje. O ponto de rotação deste pequena amostra de filme é muito próximo da fronteira dos concelhos de Óbidos e Peniche, mas à beira-mar.

Foi uma caminhada fantástica.

Recomendo vivamente

Solicitação

Escreveu um anónimo o seguinte:

"Como vez nao fui à opera. Está frio. Tu continuas a ser um dos 1500 nabos que participam nos espectáculos em mas tu é que Óbidos. És nabo todos sabemos. Adeus e vê lá se te curas.
P.S. - Não ofendas tanto o amigo Maximino"

Não percebi "em mas tu é que Óbidos"

Ó xôr anónimo, escreve uma coisa destas e pede para não ofender o amigo Maximino, quando acaba por ser o próprio a ofendê-lo, pois que ele foi um dos 1.500 nabos, tal como eu, a vereação da Câmara, deputados municipais, responsáveis pelas empresas municipais, ilustres convidados, população e demais público que entendeu passar uma noite a ouvir um excelenete espectáculo de ópera. É que uma assentada o xôr anónimo ofendeu toda a gente!

Percebe-se que não gosta de Óbidos, do que se passa em Óbidos, que não gosta de ópera, que prefere a pantufa. Está no seu pleno direito. Mas fico sem perceber porque raio de razão, não gostando de Óbidos, vem para aqui com estes disparates. Se ainda fosse o forumdapantufa...

La Traviata em Óbidos

Meus amigos, mais um pequeno excerto! Isto é que é serviço público, ainda que muito tremido!

A dita comunicação social

Ontem na ópera sentei-me ao lado de dois açorianos que estavam de férias na Foz do Arelho ( como se pode ver o turismo vai desenvolver a Foz do Arelho, que tem infraestruturas de praia a sério, e vem à noite fazer a rua direita de Óbidos). Em conversa com eles diziam que acharam estranho que tenham lido na Gazeta das Caldas exactamente o mesmo texto que leram dias antes em Óbidos!

Só tenho pena que ninguém cuide em ouvir as pessoas, pois que se fizessem não era só eu a confirmar o óbvio, mas sim a chamada vox populi. Para além de ser de um mau tom ler-se os mesmos textos, tim por tim, nos eventos, a publicitá-los e nos jornais. Dá uma péssima imagem da zona.

E incomoda-me imenso que alguém tenha a falta gosto de se ofender com esta evidência, triste evidência.

Actas das Reuniões de Câmara

Registo mais uma vez que a acta nº 4 é do ano de 2004, e não ed 2007. A sua não rectificação só fica mal a quem de direito. Não é, de modo algum por falta de conhecimento.

E, tal como se lê na acta nº 14, estão por publicar as actas de 2006 posteriores a 3 de Julho. Já aqui o disse vezes sem conta.

São gestos como estes que não dignificam em nada quem os pratica. Um ano de atraso? Quando já um semestre de 2007 está publicado? Nada justifica este desleixo.

La traviata

Muito bom. Uma encenação muito interessante. O Maestro fora de série. Mais uma vez momentos de excepção.

No entanto, é absolutamente inadmissível que as casas de banho se mantenham avariadas! Não há direito. São filas infindáveis quer nos Homens quer nas Mulheres, ou sobretudo nas mulheres! Quando se fala na imagem de Óbidos, isto também conta!

Outro reparo. Não há necessidade dos intervalos terem 40 minutos! O espectáculo acabou depois das 1 e meia! Só em atrasos foi gasto mais de uma hora! São situações a serem revistas com urgência.

11 agosto 2007

Visões



Daquela casinha que está ao completo abandono, meia telhada, meia destelhada, sem portas nem janelas, somente à espera que o tempo lhe dê o golpe de misericórdia. Seja de quem fôr este espaço é um crime o desleixo a que se deixa o património.
Aqui era só recuperar o edifício para se fazer o restaurante uma vez que o edificado já lá estava!

A praia sul do concelho


Esta é a praia mais a sul do concelho. É do melhor que há. Bom areal, bom mar, excelente ar! Bem aproveitavam os fanáticos do Surf!
Ao longe vê-se o horrível campanário do Hotel Marriott.

Atenção!


Está lá o aviso. Ao lado ruiu um pouco.
Se houver uma tragédia de quem é que é a culpa?

De um comentário

Aqui em : http://acoisadamicas.blogspot.com/

apresentam isto:

Quinta-feira, Julho 12, 2007

Festival de Ópera e Música Clássica
O Festival de Ópera e Música Clássica de Ponte de Lima, de 7 a 21 de Julho,começou no passado Sábado, com uma elegante e comovente ópera sobre a quedade Tom Rakewell, um rapaz do campo que, sendo avesso a trabalhar para ganhara vida, é atraído para Londres, pela promessa de riquezas. Manipulado peloseu criado, Nick Shadow, abandona a sua dedicada namorada, Anne Truelove,casa com a controversa Baba, The Turk e envolve-se em esquemas financeiros,que o conduzem à ruína.
Encenado por Antoine Gindt, da companhia de produção T&M Paris e comdirecção de orquestra de Franck Ollu, o conhecido maestro, a ópera tem umelenco excepcional de cantores. A soprano canadiana Barbara Hannigan, otenor americano Jonathan Boyd, o barítono Ivan Ludlow e a mezzo-sopranoAllison Cook, soa os cantores principais, abilmente apoiados por JohannesSchmidt, Richard Rowe e Alex Baker, bem como por um coro da Guildhall Schoolof Music and Drama, de Londres.Quando Stravinsky escreveu a música para esta ópera, em 1951, foi criticadopelos seus contemprâneos, por escrever neste estilo lírico e melódico, emvez de utilizar um estilo mais avant garde. Todos acabamos por beneficiareste facto. Especialmente quando cantada com tal sentimento e brilho, TheRake’s Progress é fácil de compreender e apreciar (havendo legendas emportuguês).
Aqueles que gistam de teatro irão também apreciar este dramacantado, e os amantes de ópera acharão esta peça, grandemente baseada noestilo de Mozart, muito bonita.Há ainda mais três actuações de opera, a 15, 18 e 21 de Julho.

Os bilhetes para os habitantes de Ponte de Lima e para menores de 30, bem como para estudantes, são a metade do preço. Podem fazer-se reservas para osespectáculos de ópera, bem como para os outros concertos, em Ponte de Lima,no Teatro Diogo Bernardes, , tel.: 258 900 414. Consulte também a páginaOperalima
Associação Cultural do Norte de Portugal
Quinta da Igreja · Feitosa · 4
4990-341 Ponte de Lima ·
Portugal
Tel: +351 258931141 ·
Fax: +351 258931143
Email: operafaber@simplesnet.pt

Sobre a blogosfera

No Sol, página 10 da edição de papel, vem um artigo muito interssante sobre o papel cada vez mais relevante que toda a blogosfera vai tendo em Portugal, nomeadamente na política.

A coisa corre, mais ou menos assim: Alguém num blogue, com acesso a determinada informação, publica um conteúdo mais relevante. Os jornalistas lêm e começam a fazer investigação, ou pelo menos confirmação do que é publicado. Foi assim com o caso da licenciatura de Sócrates, e será cada vez mais com mais assuntos.

É a outra face da globalização e da proximidade que a internet permite. Não se está mais dependente dos lobbies, dos interesses dos grupos "A" ou "B" ou sequer dos interesses dos editores dos jornais. Os assuntos acontecem na blogosfera e se a comunicação social não pegar neles fica mal perante o seu público. Mosta a sua depência (por óbvia oposição à independência).

Em Óbidos, ou no Oeste este assunto, ou sequer a forma de se viver estes assuntos ainda é pré-histórico. Não vale a pena ponderar o tempo que pode durar, mas é indubitável que este é o caminho, quer se goste quer não se goste.

Mais, e talvez pior de tudo, e o que mais incomoda é que é precisamente em Óbidos (parente pobre no Oeste) que se abre uma certa luz de modernidade. Nas Caldas é um marasmo entediante, em que para lá do editorial da Gazeta das Caldas ninguém se incomoda a falar. Peniche, aqui e ali, lá vai tendo uma ou outra voz, no Bombarral é outro silêncio. Assim, como é que alguém pode aceitar que em Óbidos haja tanto material para pegar?

Assim todos perdem: Os jornais, as pessoas, a democracia, as localidades... A crítica é útil e necessária em todos os lados e a todas as acções do homem, pois que só com crítica é que se discute e se cresce. Fecharmo-nos nas nossas pseudo-certezas só mostram a nossa incapacidade de nos abrirmos à mudança. E isso tem custos.

Nota: Sempre que tomei conhecimento da exitência de mais um blogue sobre Óbidos tentei dar aqui publicidade do mesmo, independentemente da sua côr, orientação ou intenção.

10 agosto 2007

Então?

A última notícia publicada no Oeste.tv sobre Óbidos é do Festival do Chocolate! O que é que se passa?

Era um projecto tão interessante.

Lido nos céus


Entre uma banhoca refrescante e um passeio à beira mar...

Estamos sempre a aprender

Quando no passado dia 2 de Agosto foi dada a devida nota do milésimo post neste espaço, fize-mo-lo também para a comunicação social local e regional. Esperava-mos que a mesma pudesse de algum modo acompanhar-nos neste momento de satisfação. Não devem ter tido tempo para connosco viver esse momento. Não nos espantamos. É assim no Oeste.

Mais umas...

Diz-nos a sempre (in)útil Gazeta das Caldas que se espera uma enchente para amanhã. A sério? De verdade? Obrigado.

Já agora querida Gazeta das Caldas, vamos a fazer um bocadinho de trabalho? Sim, trabalho! Não é repetir o que é enviados pela CMO ou pela Óbidos Patrimonium, mas trabalho.

Vamos explicar para que ninguém fique com dúvidas e se lembre de perguntar se eu tenho alguma coisa na cara!

Se a lotação da cerca anda nas 1.200 a 1.300 pessoas qual é que é o retorno de bilheteira esperado? O Elixir esteve a cerca de 50% por cento. O requiem talvez a 75%. Mas e destes,m quantos é que eram as borlinhas do costume, nomeadamente "às manas Avillez" tal como me foi contado?

Se a lotação no elixir esteve a 50%, quer dizer que as receitas anadaram também no mesmo valor, ou seja apenas 15.000 €, e no "Requiem" as receitas sobem para una aproximados 22.500€, tendo em conta que este espetáciulo contou com um coro den cerca de 200 elementos!...

Vale a pena dizer mais, ou vamos esperar que alguém ..., algures ..., talvez um dia ..., se lembre de pedir contas? Ou como estas despesas são feitas por uma empresa municipal, está tudo bem?

09 agosto 2007

E se isto acontecesse

Soube atravéz de um amigo que existe uma empresa que fabrica casas em módulos de 5 metros por 10 metros. Vêm em atrelados e são colocadas nos terrenos. Pode comprar uma, duas, três, as que se quizer e arranjar forma de as juntar. Depois de colocadas é ajustada a sua correcta posição no soloe niveladas. As águas, electricidade e esgotos são ligados e está pronta a habitar.

Grande vantagem desta novidade: Não paga nem um avo à edilidade, pois que sendo atrelados não são casas, logo não há licenças, PDM's, autorizações, ou IMI. As únicas despesas são àgua e saneamento.

Imagine-se que o Bom Sucesso resolvia fazer as suas vivendas de arquitecto com estas características..., ou os outros PIN's... Será que se mantinha a mesma ideia do interesse deste tipo de loteamentos?

Nota: Era um pouco como aqueles famosos restaurantes na Lagoa, mas a sério.

Mais uma conversa

Uma conversa tida na rua direita, dizia alguém o seguinte:

"Todos sabemos que isto é deficitário (O festival de Ópera)"... " mas depois perguntamos aos comerciantes da rua direita e dizem-nos que venderam nessas noites os melhores e mais caros produtos".

A intenção não era que de uma coisa se concluir a outra, mas o que acabou por fazer, foi isso mesmo. Justificou o tipo de público que vem à ópera com aquele que mais pode levar os produtos mais caros dos comerciantes da rua direita.

E eu, na minha ingenidade, pensei que este trabalho todo era como que uma educação cultural dada aos munícipes... Afinal é para safar o ano aos comerciantes da rua direita!

Sic On Line

Óbidos recebe pela quarta vez o único evento do país dedicado à música lírica. O Festival de Ópera regressa à vila medieval com um repertório variado e direccionado para todo o tipo de públicos.

Este ano o maior destaque é dado à obra de Giuseppe Verdi. Três coros vêm de diferentes partes do país para actuar, e a orquestra vai ser formada por cerca de 80 elementos. "La Traviata" vai ser apresentada no dia 11 de Agosto.
Entretanto, outras obras já marcaram presença na vila, como a "Arlecchinata", de Salieri.
Os espaços foram montados especialmente para o evento. De acordo com Pedro Chaves, director artístico do certame, Óbidos tem "as condições ideais para se fazer um festival de ópera".
A música lírica vai ser apresentada na vila medieval até ao dia 14 deste mês.

Ó amigo Pedro Chaves, essa de Óbidos ter as condições ideais diz V.Exa que não rapou o frio que já lá rapei! Percebo que quer simpático com o concelho, o que desde já se agradece, mas daí a condições ideais, vai lá vai. Se calhar era só para ser "simpático"...

08 agosto 2007

Sobre os passeios



Eh pa! Coisa difícil! Passeios!

Caramba! Na rua Direita a malta quer é povo, e como tudo é passeio, nem vale a pena falar...

Quanto ao resto...

Mas qual resto? Existe mais alguma coisa no concelho? E querem passeios para quê? Para fazer uma vila natal? Ou um festival? tenham juízo! Se a rua direita não precisa de passeios, o concelho não precisa de passeios! E, se alguém tiver dúvidas, o melhor é ler bem o que vem na acta da reunião de Câmara nº 13! (Não me digam que não vem lá nada! Foi prometido! Tá lá escrito "Estas duas questões serão objecto de análise na próxima reunião de Câmara".

Se calhar estavam a ser simpáticos e eu não percebi!

assim como mais ou menos

Este espaço sempre foi o mais aberto possível a todo o tipo de colaborações, bem como de intervenções e comentários. No entanto, ontem fomos, e novamente, acusados os seguinte:

"Este blog tem tanta gente inscrita, só sérgios são 3, e só este francisco é que escreve?" e o mesmo anónimo volta a escrever, depois disto "Porque é que não se volta ao forum do Oeste online?? Aí sim há espaço para se disctir tudo. Anda tudo parado por lá.", hoje, o seguinte "Quero lá saber o que se passa na Madeira. Este blog é sobre Óbidos ou para servir os interesses politicos destes 2 gajos... "

Óhhhhh senhor, decida-se! Afinal escreve só o FBT, ou há mesmo Sérgios ( obrigado pela atenção Sérgio!), ou afinal este espaço é só para ser vir os interesses ( seus pulhas!) deste "2 gajos"...

2 Gajos! Quem o Francisco e o Luís?, O Francisco e o Sérgio? Ou o Luís e o Sérgio?

Aguém me ajuda? É que estou perdido! Caramba estou confuso!

Acta nº 12


Este pedaço da acta nº 12 é de ir às lágrimas! Só mesmo no concelho wonder!
O Senhor Presidente disse a 21 de maio o seguinte: "O Senhor Presidente referiu que a Celbi, como se compreende, percebe de pasta de papel mas que de loteamentos não percebe nada, porque, se percebesse, este assunto já estaria resolvido há muitos anos e os moradores e, sobretudo o loteador, que é a Celbi, não podiam dizer que não sabiam de nada."(...)" O Senhor Presidente reforçou que bastava a Celbi requerer agora a emissão do alvará, levantá-lo e registá-lo na conservatória. Afirmou que se perdeu muito tempo porque a Câmara pedia determinados elementos sem que a Celbi os apresentasse prontamente.
O Senhor João Flores retorqui que a Celbi foi sempre respondendo ao que a Câmara pedia e que se o último pedido de elementos que a Câmara fez tivesse sido o primeiro, este processo teria sido resolvido muito mais cedo. "
Mas afinal táva a reinar! É que o Senhor Presidente é muita simpático! Adora reinar com a malta!
Cá para mim quer-me parecer que na Câmara percebem muito de loteamento, e até há quem dê lições sobre simpatia!

Mais que serviço público

Este espaço é um serviço aos seus leitores!



Como se pode ver (eu sei que a fotografia não é brilhante) metade da via está esventrada.


E do outro lado, onde havia uma ponte pedonal e um circuito de observação de aves, a ponte foi suspensa e removida e o caminho pedonal alargado para se circular de outro modo. Não estou a afirmar que vai ser alcatroado, contudo, e como não sou tão desatento como isso, pensei que estas manobras visavam o alargamento da via e sua posterior asfaltagem.
Já agora esperamos que o nosso leitor Maximino, com a devida salvaguarda das suas fontes, nos conte qual a razão tão iluminada para que se abra um caminho pedonal para duas vias de carro, bem como a outro caminho, quase que diria que se prepara a cama do alcatrão.

Visitas e revisitas


Obrigatório o artigo de António Vilarigues no Público de hoje. Sob o título “Alberto João Jardim revisitado” um não inocente António Vilarigues faz aquilo que outros deveriam fazer. Denunciar, com todas as letras, a realidade da Madeira. Sob o manto diáfano do bem-estar das populações, das reformas, dos investimentos, das grandes obras, esconde-se um mundo caciqueiro do piorio. Mas o mais relevante da escrita de Vilarigues não está nessa denúncia que se faz há décadas, está sim na frontalidade com que se assume que sucessivos presidentes da república, sucessivos primeiros-ministros, toleraram e abonaram este modelo.

Olhando para a Madeira muitos esquecem que tem a dimensão populacional de Vila Nova de Gaia e que só modelos políticos e eleitorais artificiais permitem que tenha o poder que tem.

Todos os que clamam por mais descentralização, por regionalização, olham para a Madeira e para os seus dirigentes e interrogam-se. Jardim e a sua trupe são o verdadeiro entrave à regionalização do país.

Numa frase lapidar, que passou ao lado de muitos, o Dr. Jacinto Serrão, mais um líder da oposição madeirense que foi engolido pelo turbilhão, em plena Assembleia Legislativa Regional, e após ser mais uma vez vítima de injúrias pessoais gravíssimas, dirigindo-se ao cacique-mor, um dirigente do PSD muito conhecido, afirmou: “Antes de vires para o Poder estavas a vender sifões de retrete e andavas de jerico. Agora és milionário. Onde é que arranjaste o dinheiro?”. São estas e muitas outras as perguntas que ficam sem resposta.

Quando a política desce ao patamar da impunidade então o caso está perdido. O populismo esmaga a própria Democracia que asfixia e morre. Fechado no seu casulo Alberto João Jardim goza do regime totalitarista que instalou com sabedoria e método, mas com a complacência das autoridades que o deveriam travar em devido tempo. Estranho por isso que o líder da oposição faça do seu discurso que Portugal vive um tempo de "claustrofobia democrática e constitucional" quando vai à Madeira a convite de Jardim e acha que aquilo sim é Democracia no estado puro e que lhe faltava aquilo no currículo.

O populismo no seio partidário é uma arma perigosa como os próximos meses irão ditar. De facto, outra história que poucos conhecem ou se lembram é a de Alberto João Jardim, em pleno congresso regional social-democrata em 2004, ameaçar que Portugal saíria da União Europeia em 2008 caso não viesse mais dinheiro para o país e para a Madeira.

E o que é que aconteceu? Recebeu uma chuva de aplausos da assistência, em absoluto delírio, e, em particular, do então primeiro-ministro português que era precisamente Durão Barroso, que meses depois era eleito presidente da Comissão Europeia. Coisas que uns não lembram, que outros nunca viram, que muitos nem acreditam e que outros fazem por não acreditar.

Uma última nota de indignação. Nestes dias que correm mansos soube-se da indemnização que o líder do PS Madeira teve de pagar a Alberto João Jardim por um artigo em que este se sentiu ofendido. Estranho país este em que um artigo, que aliás só diz verdades, e que todos os não caciques assinariam por baixo (até se calhar o juiz que o condenou), dá origem a uma indemnização por ofensas ao ofensor-mor do Estado de Direito, da Democracia, da ética e da dignidade na política e na cidadania.

Requiem de Verdi em Óbidos

Um pequeno pedaço somente.

Coitada


O que custa ser artista! Aqueles braços a noite inteira assim descobertos! Deve ter penado!

Requiem de Verdi


Hoje, só mesmo deste modo é que foi possível suportar o tempo muito desagradável que se fez sentir. No entanto foi um espetáculo fabuloso, com trechos a tocar o sublime.
O Maestro tinha uma energia absolutamente notável. Podería quase dizer que dançava ao mesmo tempo que dava as indicações quer para a orquestra quer para o coro.
Foi terrível o frio, ou o vento, pois que estavam 16 graus.

07 agosto 2007

Factos


Que me desculpem com mais este caso, mas vejo já hà anos este equipamento completamente ao abandono mesmo "nas barbas" da vila. A ferrugem, aos poucos vai deteriorando, dando-lhe um ascpecto muito desagradável.
Estranho, e muito, que o, ou os fiscais, ou os vereadores que às vezes o, ou os substituem, não tomem nota deste triste espectáculo que estraga a entourage da Maravilha.
Não deixamos de ficar com a ideia que umas coisas é para agir e outras é para deixar andar. Desconhecendo quase sempre as motivações mais profundas de quem age.

06 agosto 2007

Para alguns desatentos

Publicado em outro espaço, que já foi desactivado assim:

A Senhora Deputada da Nação do PSD, Dra. Zita Seabra escreveu no Correio da Manhã um pequeno texto. Era suposto ser sobre as férias, mas aproveitou para vir dar uma ajudinha ao seu colega de partido, e sobretudo num momento em que o horizonte se acinzenta.

Elogia o programa cultural de Verão, que no fundo se cingiu à XIª edição da SIPO(note-se décima primeira, 11!) e o festival de Ópera. Naturalmente percebemos que é uma pessoa com poucas exigências. O elogio não lhe fica mal, contudo talvez seja pouco trabalho para tanto elogio, sobretudo com as evidentes programações brilhantes de tantos outros concelhos. Mas entendemos o esforço pela circunstância e não levamos a mal por isso.
Agora, não podemos aceitar de modo algum a forma absolutamente leviana como uma deputada da Nação fala do problema da Lagoa de Óbidos, e que, só tomou conhecimento pela imprensa local do custo de estudo de impacto ambiental! A Senhora Deputada, na companhia dos restantes 229 deputados têm mais que qualquer outro português obrigação de garantir que estas despesas não sejam desproporcionadas.
Mas o que lhe vale é o excelente trabalho que tem desenvolvido com a sua editora, Aletheia, que tem trazido a público muito boas obras, nomeadamente "Bilhete de identidade" da Maria Filomena Mónica e "Um Herói Português" de Vasco Pulido Valente. Esse trabalho agradecemos que continue, quanto o de política....
É óbvio que tenho a superioridade moral dos comunistas...

No DN de hoje







Aqui, no Arelho, também falta a placa. É certo que não é há 3 anos!

Frases fabulosas II

- O que quer dizer ao afirmar que o que está errado no comunismo são as ideias, não é a prática?

- Quando se esteve num partido comunista e se defendeu a ditadura do proletariado, a superioridade moral dos comunistas, a propriedade colectiva dos meios de produção, e se defendeu o que ainda hoje se passa em Cuba... As vítimas do comunismo foram tantas ou mais do que as do nazismo. O que acontece é que essas vítimas não têm nome, monumentos... Parece que passaram pela História sem lá estar. O que está errado são as ideias, porque levam àquela prática.

A superioridade moral dos comunistas?!?!?!?! Importa-se de repetir? É que estou banzado! Nem no Bloco de Esquerda pensei ouvir tamanha falta de noção de si próprio. Eu que sou de direita, completamente de direita, devo ser um grande trafulha, um mafioso, um escroque, e que só no quentinho da esquerda é que consigo ver a luz das ideias! Bolas!!!!! Tirem-me deste filme!

Assim percebe-se os seus escritos sobre Óbidos...

Frases fabulosas

Diz Zita Seabra, numa entrevista ao Correio da Manhã:

- Quando escreve “Os comunistas portugueses sempre souberam de tudo” está a incluir-se?

- Claro. Por exemplo, quando descrevo o caso da Sita, isso pesa-me a consciência. Pesa-me mesmo.

A nós também, sobretudo quando escreve sobre Óbidos!

05 agosto 2007

Porque é que não perguntam



A alguém de Peniche para saber como é que se faz?
As praias de Peniche existem, têm bandeira azul, têm fregueses, têm eventos (!)...
As das Caldas também...
Até parece que não há comunicação, ou não é o Francisco Salvador de Peniche?
Óbidos tem mistérios insondáveis... Ou se calhar estão para mostrar que eles é que descobriram a formula certa para as praias no Concelho, assim como o aproveitamento da energia eólica...

Dunas


Pois é! Eram dunas... Agora isto é a parte de trás das fotos que aqui coloquei da praia da estrela.
Para quem gostava de saber a minha opinião, ou soluções, pois que ainda não conseguiu ler que sou absolutamente contra este tipo de visão estratégica para o concelho, eu lhe digo a minha opinião.
Dado que a orla costeira deve ser preservada, assim como a orla da Lagoa, invocaria todos os argumentos para não aceitar, não permitir o despropósito destas construções, podendo, caso o extremo a isso obrigasse a fazer uma intervenção definitiva de expropriação para devolver o espaço à população.
As casas são um lixo do ponto de vista arquitectónico, são de um mau gosto que se repete à exaustão em qualquer ponto do mundo, para além de impostos não acrescentam valor nenhum ao concelho. A câmara pura e simplesmente demitiu-se desde sempre da salvaguarda deste espaço. E isso é imperdoável!

Isto é segredo


(Ler em sussurro.)
Disseram-me em segredo (não posso revelar as minhas fontes) que o edificado que se observa nesta foto de má qualidade era um posto da guarda fiscal que foi sendo sucessivamente destruído por pessoas muito bem identificadas.
De facto não passa de uma ruína hà espera que o tempo lhe dê o tratamento final.
E porquê? E para quê?.....
O desenvolvimento do concelho! Leia-se o primeiro campo de golf!

Coisas


Seria um burro preso? Ou ía com o burro preso?

O Elixir do Amor

Ontem lá estive. Vi, com gosto, um Nemorino que utilizou a ginjinha como elixir do amor e como, no final, lá ficou com a sua amada Adina, ainda que não pela ginja.

Esteve quase tudo bem. O espectáculo começou às 10.20, quando no programa era referido as 10 horas. Penso que 20 minutos é um pouco excessivo, tanto mais que as Óperas são espectáculos longos.

Sugiro, em vez desses longos 20 minutos, uns singelos 5 minutos, com um audível aviso à hora certa.

Nota também menos positiva para as casas de banho, sempre com filas no caso das senhoras, e no caso dos cavalheiros com falta de sabão e de folhas para secar as mãos.

Houve também uma menor adesão, já que será uma ópera menos conhecida, acredito que La Traviata terá casa esgotada.

O programa ( com um custo excessivo 5€, sobretudo quando se pagam já 30€ por cada entrada) não tem um índice e é um pouco confuso numa primeira leitura. Talvez a utilização de um papel mais ecológico, mais leve, e mais fácil de manusear e ler. Tal modificação podería reduzir o custo de produção, alcançar o mesmo fim e ser mais simpático para todos.

A noite estava fantástica e só depois da meia noite é que se sentiu falta de um agasalho.

Encontro

No rescaldo das "cerejas" à entrada da Vila, uma das coisas que ficou bastante evidente é que, e por vezes, lemos outros sentidos do que aqueles que foram escritos. O problema não é de nenhum dos intervenientes, mas sim o facto de cada pessoa ter o seu modo de ver, de escrever, de ler, de compreender e de se relacionar com os outros. Em si o assunto não merece muito mais que uma pequena referência, no entanto, as consequências de alguns desentendimentos é que já pode ser um pouco mais complicado. Tal foi bem evidente da nossa demorada conversa, que terminou, mais ou menos com esta frase "Mas é bom que nos vamos falando". Assim, e com o intuito de promover um melhor ambiente neste espaço, lanço novamente à baila uma sugestão já aqui feita pelo Luís Carvalho:

Que tal um encontro à boa maneira portuguesa, sentados à mesa em volta de uma sopinha da pedra?

Coisas que acontecem à porta da vila

Hoje e num encontro à entrada da vila, estive com à conversa com o nosso Maximino.

E tal como as cerejas, os assuntos sucederam-se uns atrás dos outros. Não posson deixar de lhe pedir por esta via que nos relate, tal como me contou, a "novela" do primeiro campo de golf do concelho, bem como algumas das consequências que sentiu na pele. Gostava de colocar esse assunto a todos os que perdem o seu tempo com este espaço.

A vossa atenção

O assunto deste "post" não é de âmbito local, mas de âmbito nacional.

Como já deve ser do conhecimento de todos, ocorre no mundo da Cultura, um clima bastante conturbado. Também como é do conhecimento de todos, ou pelo menos espero que assim seja, a razão de fundo prende-se com a não recondução num cargo de uma profissional de inquestionáveis provas dadas. Falamos de Dalila Rodrigues e do Museu Nacional da Arte Antiga.

Não vou opinar nada sobre o assunto, mas, e tão somente deixar aqui o link para quem assim o entender, assinar uma petição que mais não é que Uma Carta Aberta de apoio a Dalila Rodrigues .

http://www.petitiononline.com/Dalila/petition.html

Se calhar, e pensando bem, e tendo em mente alguns comentários, se calhar este assunto até pode ter alguma coisa a ver com Óbidos...

04 agosto 2007

Honra

Uma das coisas que as férias servem é para, e aos poucos irmos arrumando algumas coisas, tirando o pó a outras, para além das leituras atrasadas.

Assim, e com a intenção de arrumar o estado absolutamente caótico das fotografias que estão no computador, reparo que afinal, em Fevereiro de 2004, mais concretamente no dia 7, e pelas 15.47 tirei fotografias ao livro de casamentos da freguesia de Santa Maria e ao ano de 1919. Porém, e como não gostei da qualidade das mesmas, nem de alguns rol de confessados que também descobri, pura a simplesmente atirei as fotografias para uma pasta de seu nome "A Tratar", logo assunto para umas férias.




Como se pode ver a fotografia foi tirada com o livro assente numa cadeira, vendo-se ainda os meus sapatos. A máquina não tinha a definição necessária. As fotografias não tinham qualidade para que pudesse extrair, com confiança, os dados que queria. Por esta razão talvez tenha ficado por fotografar o livro que se eclipsou.
Um investimento posterior já permitiu que em Janeiro de 2006, no Arquivo Distrital de Aveiro pudesse fotografar esta página do livro de baptismos de Fermentelos, concelho de Águeda e respeitante ao ano de 1742.

Peço as minhas desculpas de vos incomodar com este assunto, mas às vezes, e pelos comentários que se vão escrevendo, há questões de honra pessoal que não posso abdicar. Não tenho por hábito falar levianamente.

03 agosto 2007

Está a começar mais uma ópera

E eu sem poder ir assitir!

Mesmo pagando os bilhetes, pois que não sou nem vereador nem deputado municipal!

Não sou especialista, mas


Os Rios Arnóia e Real ( ou Rial?) juntam-se para dar o seu contributo para a nossa Lagoa.
Acontece que todos os anos por esta altura é montada uma barragem física que não permita que a àgua da Lagoa entre nos rios de modo a que a água dos rios possa a continuar a ser utilizada pelos agricultores.
Acontece que, e estranhamente, este ano a barreira foi danificada e a àgua mais salgada da Lagoa entra nos rios.
Não sou nenhum especialista nesta matéria, mas quer-me parecer que esta ponte está a necessitar de atenção urgente.